Colecionar Selos: Como Começar?                                                                                                                                                                                                  

     por Rubem Porto Jr.

Maneiras baratas de começar uma coleção.


Se você começou recentemente a colecionar selos, ou estiver pensando em fazê-lo, você pode querer saber como começar sem gastar muito com esse passatempo. Será possível começar uma coleção com recursos financeiros limitados? 

É claro que sim! É possível começar mesmo não tendo nenhum dinheiro disponível para usar com a coleção? Onde podemos encontrar selos baratos? 

Se você pretender colecionar selos recentes, do Brasil ou de outras partes do mundo, usados ou não, existem algumas oportunidades boas de você conseguir iniciar sua coleção a baixo custo. Os selos usados podem ser colecionados, têm valor, e podem não lhe custar nada. Muitos colecionadores colecionam somente selos usados. Outros, preferem colecionar tanto os usados como os novos (sem uso, não utilizados para pagamento de franquia do correio). Outros optam por colecionar selos apenas de um país ou de alguns poucos países. Alguns colecionadores preferem colecionar por temas (trens, animais, esportes, por exemplo). Enfim, há toda uma variedade de tipos diferentes de coleções. 

Selos postais usados aparecem em nossas (e de nossos vizinhos) caixas de correio, e, em geral, serão descartados pelos não colecionadores. Assim, o primeiro lugar para procurar por selos, é sua própria caixa de correio! Não desanime quando você observar que muitos remetentes usam franquias, autômatos ou porte pago em seus envelopes. Em geral, isso permite ao remetente ganhar tempo ou baixar seu custo de envio. Você vai ver entretanto, que ainda são muito usados tanto os selos ordinários (regulares sem tiragem pré-definida), quanto os comemorativos. É a partir desse material que você vai poder iniciar sua coleção.

Passos para começar a Coleção

1) Você pode começar solicitando àqueles que lhe remetem correspondência que usem selos comemorativos e/ou ordinários em suas cartas. Os selos comemorativos são em geral emitidos para comemorar acontecimentos, lugares, ou eventos importantes ou ainda para homenagear pessoas dos mais variados ramos da cultura, ciência política, etc. Estes selos são impressos em quantidades fixas e, por vezes, reduzidas, (quando comparadas aos selos ordinários) e são geralmente mais interessantes para os colecionadores. Muitas pessoas se recordarão de seu pedido e quando se dirigirem ao guichê dos correios para portear uma carta para você ou sua família, perguntará pelos selos comemorativos e os estampará nas cartas. 

2) Os vizinhos, os amigos e os parentes são uma outra boa fonte dos selos. Peça para que eles guardem os envelopes e/ou os selos para você. A maioria das pessoas, se solicitadas, terão prazer em guardar para você o material de que você precisa. Escreva para pessoas de outros estados e países e sugira trocar correspondência com elas, ou mesmo trocar selos com elas. Essa pode ser uma boa fonte de material, além de proporcionar a alegria de fazer novas amizades.
3) O correio do escritório de trabalho das pessoas de sua família e amigos pode ser uma fonte excelente de material. Um escritório de pequeno porte recebe em torno de 20 a 30 correspondências por dia e em geral os envelopes são jogados fora com o precioso material de que você necessita. Contate-os. Peça que guardem os envelopes para você!

4) Pergunte a seus pais e demais familiares se eles não têm quaisquer cartas antigas, que podem ter selos nos envelopes. Quando for recuperar este material, lembre-se de cortar por fora dos limites do selo, para não inutilizá-lo, deve haver papel em torno de todo o selo, e o selo e todas suas perfurações não devem estar danificados. Tenha cuidado ao retirar o selo do envelope. Há formas que permitem sua perfeita recuperação, sem que ele apresente rasgos ou afinamento do papel, que prejudicará a aparência e diminuirá seu valor. Se você receber envelopes antigos ou material que tenha marcas postais (carimbos) pode ser mais interessante conservar o envelope inteiro.

Considerando que agora que você tem selos colados no papel do envelope, portanto em fragmentos, o que fazer com eles? A maneira a mais comum de descolar os selos do papel é colocá-los em uma bacia com água fresca. Quando o papel desgrudar (após alguns minutos), seque-os então, em papel mata borrão ou em papel toalha.

Há muito a aprender sobre selos quando iniciamos a nossa coleção. O incrível é que quanto mais aprendemos, mais temos que aprender. São variados detalhes como por exemplo, as diferentes cores que podem existir em selos com o mesmo projeto, medidas diferentes da perfuração (denteação, que é o número de furos por lado do selo). Em geral, as principais variedades dos selos estão relacionadas nos bons catálogos. Ter acesso a um catálogo e a um clube filatélico próximo é muito útil até que você se decida a ter os seus próprios catálogos.

5) Os colecionadores mais antigos podem ser uma outra boa fonte de selos para os iniciantes. Eles podem ter muitas duplicatas e, em geral, os colecionadores eles gostam de ajudar os novos filatelistas cedendo-lhes material que não terá mais utilidade para ele, seja de modo gratuito, ou por preços bem abaixo daqueles que se pagaria em uma loja especializada.

6) Os clubes filatélicos são um outro lugar importante para os iniciantes. Um clube pode oferecer selos como prêmios, ou ter selos baratos à venda. Você deve procurar um clube nas proximidades de sua casa e frequentá-lo. Associe-se a ele. Caso não existe um clube em sua cidade, que tal tentar criar um? Com a ajuda da Internet, isso pode se tornar uma tarefa fácil. Basta entrar em contato com clubes já existentes e solicitar informações e ajuda para a criação de sua associação. 

7) Procure em revistas pessoas que se interessem em trocar correspondência, principalmente no exterior. Obtendo um contato com essa pessoa solicite-lhe a troca de selos. Essa também pode ser uma boa fonte de material.

8) Trocar, comprar e vender seus selos em duplicata pode ser interessante e divertido. Procure em revistas e na internet, endereços de compra, venda e troca. Selos não fazem quase nenhum volume e seu peso é irrisório, logo, transacioná-los pelo correio é barato.

Colecionar selos não precisa ser um passatempo caro. São emitidos milhares de selos todos os anos, em todo o mundo e enquanto alguns deles custam caro, outros valem poucos centavos cada. Ninguém espera que você tente ter todos os selos que existem. Desfrute o prazer que a filatelia trás estudando os motivos dos selos e examinando suas características técnicas. Peça de presente aos familiares alguns acessórios, como um álbum pequeno e um pacote de charneira ou hawid, uma pinça, uma lupa. Por fim, lembre-se que o pequeno selo, barato e comum de hoje, pode se transformar em um bem algo mais valioso no futuro. Muitos selos baratos no passado se transformaram em selos valiosos com o passar dos anos. Mas fundamentalmente, não colecione com o pensamento voltado para o valor do material. A filatelia é antes de tudo, um entretenimento cultural. Portanto, pesquise, estude, aprenda. Caminhe pelo mundo que a filatelia lhe abre! 

 

Fonte: http://www.clubefilatelicodobrasil.com.br/artigos/atecnicos/modos.htm

Contato

Numismática Ribeirão Preto Rua Florêncio de Abreu, 1136 - Centro
Ribeirão Preto - SP
Osvaldo Luiz Oliveira
(16) 3610-6487
numismaticarp@gmail.com